Já ouviu em falar piroforicidade? Entenda o que são materiais pirofóricos!

© Depositphotos.com / papa42 Os materiais pirofóricos são aqueles que possuem maior facilidade para entrar em combustão espontânea e que só podem ser contidos por meio do uso de extintores classe D ou areia.

A piroforicidade é uma característica que indica a propensão que uma determinada substância ou material possui para reagir com o ambiente quando está na forma de partículas finas. Esse processo faz com que essas substâncias atinjam a temperatura mínima necessária para iniciar uma combustão, mesmo sem uma fonte de ignição.

Os materiais pirofóricos podem entrar facilmente em combustão espontânea por meio do contato com a água, ou até mesmo com ar — se a temperatura de autoignição for menor que a temperatura ambiente.

Dentre os materiais pirofóricos, podemos destacar os metais leves, sólidos e em pó, tais como: sódio, lítio, magnésio, urânio, potássio, césio, alumínio, cálcio e titânio. Os incêndios provocados por esse tipo de material podem ser descritos como de classe D para metais em chamas e se caracterizam por serem extremamente perigosos e difíceis de controlar, sendo possíveis apenas com o uso de extintores classe D ou areia.

O controle feito por meio do extintor é realizado graças à utilização de um pó químico especial, que pode ser utilizado três formas diferentes para impedir que o calor se propague. São elas:

  • Abafamento: consiste retirada de todo o oxigênio presente nas proximidades do combustível, interrompendo a combustão;
  • Isolamento: consiste da interrupção, diminuição ou retirada do material ainda não afetado pelo fogo para fora da área de propagação;
  • Inibição: é a quebra da reação em cadeia, feita por meio da neutralização das moléculas geradas pela queima do combustível.