EPI para construção civil

Trabalhadores
O número de acidentes na construção civil ainda é preocupante no Brasil.

O Brasil é um dos países com o maior número de acidentes na construção civil em todo o mundo. Para se ter uma idéia, dados apontam que todos os anos acontecem 4.098 acidentes fatais, num total de 342 ocorrências todos os meses.

Flickr.com/WSDOT O número de acidentes na construção civil ainda é preocupante no Brasil.

Esses números alarmantes estão intrinsecamente ligados às pequenas construtoras, que, na maioria das vezes, acabam negligenciando normas de conduta e de segurança, empregando trabalhadores despreparados e desqualificados, além de não fornecerem os equipamentos de proteção individual (EPI) que são de extrema importância para a segurança dos funcionários que trabalham na obra.

Toda empresa é obrigada a fornecer aos seus trabalhadores, de forma gratuita, o EPI adequado e em perfeito estado de conservação e funcionamento, de acordo com as disposições da NR 6 (Norma Regulamentadora número 6 do Ministério do Trabalho e Emprego). Os EPIs utilizados na construção civil são:

É importante salientar algumas considerações relativas a alguns EPIs:

  • O capacete é absolutamente obrigatório para todas as funções;
  • O protetor auricular é obrigatório a qualquer função que exponha o trabalhador a níveis de ruído superiores aos limites de tolerância da NR 15;
  • A capa impermeável deve ser usada por trabalhadores cuja função o exponha a chuvas e garoas;
  • O cinturão de segurança, do tipo pára-quedista, deve ser utilizado quando a função do trabalhador o obrigue a trabalhos acima de 2 metros de altura;
  • O cinto de segurança limitador de espaço deve ser usado quando a função exigir trabalho em beiradas de valas, lajes e similares;
  • A máscara panorâmica deve ser utilizada pelos trabalhadores em que a função apresenta a necessidade de proteção facial e respiratória.

Mais Artigos Relacionados

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Sed mollis nibh eros, non porta turpis posuere sed. Pellentesque porttitor elit erat, et consequat purus scelerisque eget. Cras nec libero at magna fringilla dictum.