Perda Auditiva no Trabalho: conheça as atividades de maior risco com o problema

© Depositphotos.com / AndreyPopov Profissionais como dentistas, motorista de ambulância e enfermeiros, estão expostos diariamente a ruídos acima do índice permitido.

O esforço repetitivo e a exposição a riscos ambientais sem a devida proteção podem gerar problemas de saúde irrecuperáveis, e é um processo razoavelmente comum em muitas atividades profissionais. Uma das doenças mais comuns associadas ao ambiente de trabalho é a perda auditiva, também chamada de perda auditiva induzida por ruído ocupacional ou simplesmente de surdez profissional.

Embora esse problema registre elevados índices de ocorrência, a prevenção da doença ainda é muito ignorada em muitos ambientes de trabalho — tanto pelas empresas quanto pelos profissionais que atuam no local. Algumas profissões em especial têm grande tendência ao surgimento da doença, inclusive com legislação específica para proteção do trabalhador. Confira quais são essas profissões de maior risco a seguir:

Profissões com maior risco de desenvolver perda auditiva

Trabalhos em siderurgia, metalurgia, produção gráfica, indústria têxtil, transporte, agricultura, música e construção civil são os principais ambientes de ocorrência de perda auditiva entre os profissionais. Mas outras áreas também podem causar riscos, se houver alto índice sonoro no ambiente.

Situações como exposição contínua a ruídos ambientais, exposição a vibração e calor intensos e a substâncias químicas como solventes também podem causar perda auditiva.

As dez profissões com maiores riscos de perda auditiva, com exposições constantes acima do limite de 100 decibéis são:

  • Tripulação de voo;
  • Músicos e profissionais de áudio, como DJs;
  • Profissionais de trânsito, como guardas;
  • Motorista de ambulância;
  • Engenheiro industrial e operário;
  • Dentista;
  • Enfermeiro;
  • Profissionais da construção civil;
  • Trabalhadores da mineração;
  • Motorista de caminhão.

Outras profissões, como o telemarketing, vêm crescendo e se aproximando desses índices. Algumas podem ser agravadas, como o caso do músico que toca estilos que requerem altíssimo volume ou outras em tons mais baixos, como o clássico. O instrumento também é fundamental, já que uma bateria é muito mais potente vocalmente do que uma flauta, por exemplo.

Principais sintomas do surgimento da surdez ocupacional

  • Perda auditiva;
  • Dificuldade em compreender as conversas;
  • Dificuldade para identificar a origem de fontes sonoras;
  • Ouvir zumbidos;
  • Dores de cabeça;
  • Alteração do sono sem explicação;
  • Tonturas e falta de equilíbrio;
  • Isolamento pela dificuldade de ouvir corretamente;
  • Irritação.

Cabe a empresa cuidar da saúde de seus trabalhadores por meio da realização de atividades preventivas e fornecimento de Equipamento de Proteção Individual (EPIs) específicos para evitar a exposição a ruídos excessivos; Funcionários que estão constantemente expostos em ambiente de risco devem fazer exames médicos a cada seis meses e também ter um horário especial de trabalho.