Proteção em altura: quais EPIs utilizar?

© Depositphotos.com / ints-v Profissionais que atuam em alturas superiores a dois metros devem seguir procedimentos de segurança e utilizar equipamentos de proteção individual.

Profissionais que atuam em alturas superiores a dois metros — em escadas, andaimes, plataformas ou cadeiras suspensas — precisam seguir corretamente os procedimentos de segurança e utilizar Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) adequados para o trabalho em altura.

EPIs indicados para o trabalho em altura

Confira a seguir os EPIs considerados fundamentais para a proteção do profissional que trabalha em altura:

Cinto de segurança: EPI indicado para quem trabalha em altura superior a dois metros, com risco de queda;

Cadeira suspensa: indicado para atividades que envolvam deslocamento vertical em alturas;

Trava-quedas de segurança: este EPI deve ser acoplado ao cinto de segurança e ligado a um cabo independente. Ao sofrer um impacto, o trava-quedas trava automaticamente e impede a movimentação ou queda do funcionário;

Outros itens essenciais para trabalho em altura: cinto paraquedista, mosquetão de aço oval, cadeira suspensa para descida/subida e talabarte variável de acordo com a atividade.

Vale ressaltar que a empresa contratante deve, obrigatoriamente, fornecer os EPIs de proteção em altura, assim como garantir seu perfeito estado de conservação e realizar a rápida substituição em caso de problemas. Cabe ao colaborador, por sua vez, utilizar o equipamento corretamente.